Resenha | Bicha, Para!

26 de abr. de 2020

Oi Perdidos,

O Clube do Farol recebeu o livro Bicha, Para! em parceria com a editora Meus Ritmos e a Bete me perguntou se eu queria fazer a resenha. Não sabia o que esperar do livro escrito pelo youtuber Guigo Kieras, quando aceitei a oferta.

Bicha, Para!
Amazon

Autor: Guigo Kieras
Editora: Meus Ritmos
Gênero: Autoajuda, Autobiografia, LGBTQ+, Nacional, Memórias.
[+18] Indicado para Maiores de 18 anos
ISBN: 8591645499 Skoob
Páginas: 140
Ano: 2019
Classificação:

O livro traz 10 histórias reais relacionadas à sexualidade de Guilherme Kieras. Se assumir perante os pais e amigos, se apaixonar pelo amigo hétero, a sua primeira vez, sofrer homofobia, religião... Guigo passeia por todos esses assuntos de forma leve. Sem rancor, nem drama.

Às vezes ser gay é complicado, mas calma... dá pra descomplicar.

Fiquei arrasado logo no prefácio (A Grande Arrancada), escrito pela mãe de Guilherme, onde ela conta que não conseguiu aceitar seu próprio filho quando ele se assumiu para ela.

Ao negar ao meu filho a chance de viver sua adolescência de forma natural, ao trata-lo como doente, arranquei de Guigo cinco anos de sua vida. Tempo esse que, mesmo ele me perdoando mil vezes, não há como recuperar.

Hoje, Josiane Kieras ama o filho em toda a sua essência e é uma das grandes militantes das causas LGBTQ+.

Entrei no Instagram do Guigo a convite do próprio autor e fiquei assustado com a filmagem de um gay sendo arrastado pela Polícia Militar de São Paulo até um beco afastado. Guigo escreveu que estava tudo bem com ele e que não podia falar muito sobre o processo judicial porque ele corre sob segredo de justiça. Disse apenas que o processo caminha bem. Foi quando percebi que o gay que estava sendo arrastado por 3 policiais era ele próprio. Em Sofri Homofobia... E Agora? Guigo conta esse caso de homofobia que ocorreu no dia 9 de março de 2019, logo após um bloco de pós-carnaval da Claudinha Leitte, em São Paulo. O caso ganhou notoriedade nacional e saiu até no Fantástico.

Apesar de ter citado dois casos mais dramáticos, o livro traz diversos outros “causos” contados de forma irreverente, mas que trazem questionamentos bem importantes para o mundo atual, onde algumas pessoas não conseguem respeitar quem é diferente. Seja por causa da sua raça, credo ou orientação sexual.

Guilherme Kieras é formado em Publicidade e especialista em Gestão de Marketing Digital. Trabalha como Social Media e é criador do canal Fora da Casinha, no Youtube.

Os seguidores do canal se chamam carinhosamente de “tatuzinhos”, por isso cada capítulo tem o desenho de um tatu no início, além de um espaço para anotações no final. A edição feita pela editora Meus Ritmos está bem bacana e combina muito com a vibe do autor. Agora, também sou um tatuzinho!

O trunfo de Bicha, Para! está na sinceridade e no jeito irreverente de Guigo. Um livro curto, de 140 páginas, que pode ajudar muita gente que enfrenta questões parecidas. Um livro necessário não só para os gays, mas também para os héteros que precisam saber das lutas que todo LGBTQ+ enfrenta no seu dia a dia. Obrigado, Guigo!

Com amor, André

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi Perdido,
Deixe o seu recado, seja ele um elogio ou uma sugestão.
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.