Resenha | O Medo de Virgília

26 de set. de 2019

Oi Perdidos,

Comecei a ler O Medo de Virgília sem nenhuma informação sobre o livro lançado pela Editora Selo Jovem. Também não conhecia o trabalho da autora gaúcha Rosa Mattos, mas fiquei intrigado com a sinopse.

O Medo de Virgília
Amazon | Submarino | Selo Jovem

Autora: Rosa Mattos @mattos_pink
Editora: Selo Jovem
Gênero: Romance, Drama, Suspense, Nacional
ISBN: 8566701267 Skoob
Páginas: 204
Ano: 2016
Classificação:

Cercada por pessoas desajustadas (psicopatas, neuróticas, depressivas, insanas, obsessivas, fóbicas e inescrupulosas), Virgília luta para manter sua sanidade mental.

Vigília é uma personagem forte que se mudou da pequena Cristal para a grande Porto Alegre. Ela vive em um apartamento herdado pela mãe para poder ficar perto da irmã mais nova que está internada em uma clínica psiquiátrica na cidade.

Ela consegue arrumar trabalho como gerente de uma joalheria, onde conhece Alex, o entregador de joias da empresa de segurança. Os dois se envolvem, mas Alex tem um dom incomum. Ele é capaz de entrar na mente das pessoas e obriga-las a fazerem o que ele quiser, inclusive se matar.

A história é narrada em primeira pessoa e os capítulos são alternados com outros personagens à medida em que eles surgem na vida da nossa protagonista. Pessoalmente ou em forma de lembranças. São personagens estranhos com histórias tão bizarras que conseguem prender a nossa atenção.

Durante a leitura, fiquei imaginando como essas histórias afetariam a história da nossa protagonista, mas, ao chegar no final do livro, percebi que Virgília funciona como um fio condutor para diversos contos.

A autora Rosa Mattos é gaúcha e encantou-se pelas letras desde pequena. Ela sempre escreveu minicontos, contos e prosas, e talvez isso tenha ficado marcado no DNA da autora.

A nossa imaginação é capaz de criar e aumentar os fatos, nos tornamos reféns de nossos próprios pensamentos.

A edição da Editora Selo Jovem é muito boa. O livro tem orelhas, páginas amarelas e diagramação adequada.

O Medo de Virgília não funcionou como romance único para mim. Somente a história de Marília, a irmã mais nova de Virgília, e do namorado Alex é que se conectam diretamente com a história principal. As demais histórias acontecem meio que paralelamente. Por isso disse para amigos que o livro funciona melhor como uma seleção de contos interligados.

Com amor, André

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi Perdido,
Deixe o seu recado, seja ele um elogio ou uma sugestão.
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.