Crítica | Dumbo (2019)

2 de abr de 2019

Oi Perdidos,

O meu primeiro contato com a sétima arte foram os desenhos da Disney que eram exibidos nas festas de aniversário em projetores de filmes. Nossa! Como sou velho!! Depois vieram as Fitas de VHS... DVD... Blue-Ray... e o video-streaming. Tenho várias animações da Disney em DVD e Blue-Ray, mas Dumbo não é um desenho que me marcou.

Dean DeBlois
Título: Dumbo
Título Original: Dumbo
País: EUA
Ano: 2019
Diretor: Tim Burton
Atores: Colin Farrell, Eva Green, Danny DeVito, Michael Keaton e Alan Arkin
Gênero: Live-action, Disney, Fantasia, Aventura
Produção: Disney
Classificação:

A Disney Lançou Dumbo em outubro de 1941. Dumbo é o quarto desenho dos Estúdios Disney, mas parece que a animação envelheceu mais do que os seus antecessores: Branca de Neve e os Sete Anões (1938), Pinóquio (1940) e Fantasia (janeiro de 1941).


O desenho conta a história do pequeno Jumbo Jr. que tem orelhas grandes demais para um bebê elefante. Os outros animais começam a zombar dele fazendo com que a mamãe elefante defenda o seu filhote. Os domadores do circo acreditam que ela está muito violenta e a isolam. Ridicularizado e sozinho, Jumbo Jr. ganha o apelido de Dumbo, que significa estúpido em inglês, mas ele descobre que pode voar com a ajuda do seu único amigo, um ratinho chamado Timóteo.

A animação da Disney é baseada no livro homônimo da escritora Helen Aberson e do ilustrador Harold Pearl. O desenho foca nos animais e não tem muita história para preencher um filme live-action de quase 2 horas, por isso o roteirista Ehren Kruger (de A Vigilante do Amanhã) teve que preencher essa lacuna com novos personagens e histórias paralelas. É praticamente um filme diferente do desenho, mas o essencial está lá.

A família Farrier: Holt, Milly e Joe
A mãe de Milly e Joe morreu e eles esperam o pai voltar da guerra. Colin Farrell (de Animais Fantásticos e Onde Habitam) consegue voltar, mas mutilado de um dos braços. Como ele não consegue mais se exibir montando cavalos, o chefe do circo Danny DeVito (de Pé Pequeno) o coloca para cuidar dos elefantes. Uma das elefantas dá à luz a um elefante com orelhas gigantes e ele acaba sendo ridicularizado por todos fazendo com que a mamãe elefante defenda o seu filhote e seja acusada de louca pelos domadores. As crianças descobrem que Dumbo pode voar e começam a treinar o elefantinho na esperança de que assim ele consiga reencontrar a sua mãe. Só que Michael Keaton (de Homem-Aranha: De Volta ao Lar), um poderoso produtor, compra o pequeno circo e tem outros planos para Dumbo.

Estava com medo da versão de Tim Burton para o desenho da Disney, porque o último filme do diretor, O Lar das Crianças Peculiares, não foi tão bem recebido por crítica e público, mesmo sendo ele o criador de verdadeiras obras primas como Os Fantasmas se Divertem e Edward: Mãos de Tesoura.


O filme tem um ótimo elenco, mas nenhum deles de destaca. Gostei de ver o retorno de Danny DeVito às grandes produções. Ele estava meio sumido. Michael Keaton está apostando nos vilões, mas o seu personagem é bem caricaturado. O que se destaca mesmo são os efeitos visuais utilizados para a criação do Dumbo. O elefante é muito crível e em vários momentos a gente consegue ver o que ele está sentindo através de seus olhos, já que ele não fala como no desenho.

Achei que o roteirista fosse se utilizar da mutilação do Holt, pai das crianças, para discutir sobre as pessoas com deficiência, contrapondo com a situação do pequeno Dumbo, mas isso não acontece. Uma pena! A trilha sonora de Danny Elfman é boa, mas um pouco sombria para o filme. Destaque para a música da cena em que Dumbo imagina elefantes nas bolhas de sabão.

No final, temos um filme visualmente bonito e emocionante que consegue trazer a pureza do clássico da Disney para os tempos atuais.

A magia da Disney se encontra com a visão peculiar de Tim Burton para criar uma linda história de amor pelo diferente. (Garotos Perdidos)

Com amor, André

9 comentários:

  1. Oi André! Nossa, confesso que estou um pouco aliviada perante sua crítica! Achei que este seria mais um daqueles live que deixariam a gente desidratados de tanto chorar, mas saber que ele nem foi tão emocionante assim, me deixa com menos medo de assistir, porque eu sou bem chorona, daí o medo. Mas fiquei satisfeita por saber que tem mais personagens e que mesmo sendo assim, uma história relativamente boa, emociona. Obrigada!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bom?
    Dumbo também não foi uma história que me marcou quando era criança. Isso ligado ao fato de que não via muita história para Live Action fez com que não me interessasse pelo filme. Saber um pouco mais do enredo agora e sobre a história que foi desenvolvida junto com a do dumbo me deixou bem curiosa para conferir, ainda que não seja nada espetacular ou extremamente emocionante. Dica anotada.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Assim como você Dumbo não foi um filme que me marcou na infância, mas como não me recordo de praticamente nada em relação ao desenho, estou curiosa para assistir o filme.
    Gostei e achei bem animador a sua crítica pois confesso que tinha um pé atrás, já que estamos em uma leva de readaptações da Disney.
    O elenco é bom e acho que isso ajuda bastante.
    Espero que consiga me envolver.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  4. Olá, gostei de conferir suas considerações sobre o filme. Acho que não cheguei a ver o desenho, interessante a forma como colocaram mais coisas no enredo, uma pena que não parece ser ficado espetacular, mas ainda quero assistir.

    ResponderExcluir
  5. Eu assisti o clássico da Disney anos atrás, acho. Mas não me lembro muito bem da história, embora acredite que ela tenha sido mencionada na escola quando eu era criança. Tenho uma lembrança um pouco confusa de uma professora ter falado sobre Dumbo ou algo parecido, numa aula de interpretação de texto. Eu era bem pequena.

    Como não lembro de quase nada, é uma boa oportunidade para apostar no filme e ver se ele consegue me emocionar. Geralmente amo as produções da Disney! E a importância que alguns filmes dão à amizade. Acho que será um tema bem trabalhado neste filme.

    ResponderExcluir
  6. Ola tudo bem?

    Estou mega ansiosa para assistir esse filme. Amo esses live action que a Disney vem trazendo para nós e confesso que não estava nem um pouco temerosa com o trabalho do Tim, nesse tipo de filme ele simplesmente arrasa. Sobre a questão de comparar a deficiencia do homem com a do animal, não sei porque ele iria fazer isso se no desenho não ocorre dessa obra. Para que ele mudaria a essencia da obra? Tem coisas e coisas que podem se trabalhar e modificar, acho que problematizar um filme que é mais uma lição de vida e de valores algo meio desnecessário.

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Eu não assisti o original e ainda não vi esse e confesso que minha curiosidade com este enredo é mínima. mas como tenho criança em casa, com certeza irei conferir. Gostei da sua critica e que bom saber que não pesaram no drama.
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá André!!!
    Como você "Dumbo" não é uma das minhas animações preferidas da Disney, eu tenho uma memória aqui e aculá dele mas nada maravilhoso assim.
    Eu só chorei muito da cena do Dumbo e da mãe dele quando ela está na grade e toca nele com a tromba, mas não sei se isso representou tanto assim no filme.
    Eu ouvi muitas críticas acerca do filme e sinto que foi outro filme que não será tão marcante do Tim, mas não sei quem sabe.
    De todo modo adorei saber o que você achou do filme.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Ainda não assisti o filme, mas quero demais, pois Dumbo fez parte da minha infância e quero matar minha curiosidade se a história permaneceu a mesma ou se modificaram alguma coisa.

    ResponderExcluir

Oi Perdido,
Deixe um elogio ou uma sugestão.
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.