Resenha | Jay

29 de jan de 2019

Oi Perdidos,

Será que vocês estão preparados para um romance hot que se passa no ramo da indústria pornográfica? Calma! Apesar de ter muitas cenas eróticas, a autora Karen Dorothy escreveu uma história envolvente com personagens totalmente sedutores.

Título: Jay
Série: Estrelando o Amor #1
Autora: Karen Dorothy
Editora: Cappia
Gênero: Nacional, Romance, Hot
Páginas: 347
Ano: 2018
[+18] Inapropriado para menores de 18 anos
Classificação:

Ninguém nasce pensando em ser uma atriz pornô. Isso meio que acontece! A nossa protagonista se mudou para Los Angeles, junto com o amigo Luke, há dois anos, mas a mudança ainda não surtiu o efeito que Jéssica Williams esperava.

Há mais de um ano trabalhando no Café Holliday, Jéssica acaba aceitando o convite de um produtor para trabalhar como atriz pornô.

Jess, pense bem, é uma grana bem alta. Você é linda e, com todo o respeito, tem um corpo maravilhoso. Você escolheria com quem trabalhar e quais as cenas que gostaria ou não de gravar.

Ela só grava cenas com Luke, uma espécie de irmão mais velho. Somente ele tem o poder de deixa-la à vontade para fingir prazer durante as gravações. O problema é que Luke vai se casar e decide largar o mundo pornográfico, apesar de sua noiva não ver problema no seu trabalho. Agora, Jess que é a estrela da produtora Scenes of Pleasure terá que escolher um novo parceiro de cena.

É quando Jess conhece Jayden Smith. Jay tem 25 anos, trabalha como modelo e é muito fã do trabalho de Jess. Quando ficou sabendo que ela estava à procura de um novo parceiro, aproveitou a oportunidade. Claro que um pouco mais de dinheiro não faz mal a ninguém.

Jay tem o dom, um poder enigmático em seus olhos escuros que faz com que Jess se sinta viva novamente. Faz tempo que ninguém é capaz de fazê-la sentir prazer. Será que eles serão capazes de terem um relacionamento em um ambiente onde o sexo é algo tão rotineiro e repetitivo?

Quando comecei a ler Jay já esperava um romance hot onde as cenas de sexo teriam um grande destaque. E não estava errado! Mas a autora Karen Dorothy escreveu cenas bem sexys sem ser grosseira ou esquecer da história dos personagens.

Um ponto levantado pela autora que gostei muito foi o preconceito que os atores que trabalham no ramo pornô sofrem. Lembro dos comentários preconceituosos de quando o ator Alexandre Frota resolveu entrar para esse ramo após ter atuado em várias novelas da Rede Globo. Atualmente, esse fato voltou a ser manchete por causa da crítica feita pelo filho do ator.

Pensando nisso, procurei por depoimentos de atores pornográficos pela internet sobre suas profissões e achei um bem interessante:

O ator pornô não é um objeto sexual. Não é um qualquer só porque tira a roupa na frente das câmeras e se mostra para o mundo. O ator pornô tem vida normal. Tem sentimento. É um ser humano como outro qualquer. Não é mais nem menos do que ninguém. É simplesmente uma pessoa normal fazendo um trabalho.

Assim são Jess e Jay. Duas pessoas normais fazendo um trabalho. É claro que eles vão se envolver emocionalmente, mas o passado e o presente da vida deles vão atrapalhar um pouco esse relacionamento.

Mesmo que esta seja uma obra de ficção e o cenário retratado, fruto da imaginação da autora, tudo faz muito sentido.

O objetivo do livro não é te fazer pensar, mas isso não significa que precisa ser um entretenimento vazio. Indicado para quem curte romances hot, bem hot.

Com amor, André

Resenha publicada originalmente no blog Clube do Farol

Um comentário:

  1. Não sei se vc já assistiu a algum documentário sobre a indústria pornô (existem vários, HBO, Netflix e outros já fizeram), mas se não o fez aconselho a assistir. Não só retrata como funciona os bastidores, como também a parte "suja".
    O ator pornô tem uma vida depois das filmagens e é uma pessoa normal, como qualquer um de nós.
    :)
    Parece que a autora conseguiu trazer essas pessoas para a realidade e tirarem elas do "pedestal" de um artista.
    Bjs

    ResponderExcluir

Oi Perdido,
Deixe o seu recado, seja ele um elogio ou uma sugestão.
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.