Crítica | Nasce uma Estrela (2018)

13 de out de 2018

Oi Perdidos,

Nasce uma Estrela recebeu uma vasta campanha de divulgação. Apesar de isso não ser garantia de um bom filme, há muitos atrativos pra gente deixar o filme passar em branco. Então, fui conferir esse drama estrelado por Bradley Cooper e Lady Gaga.

#pessoasquecuram
Título: Nasce uma Estrela
Título Original: A Star Is Born
País: EUA
Ano: 2018
Diretor: Bradley Cooper
Atores: Bradley Cooper, Lady Gaga e Sam Elliott
Gênero: Drama, Musical, Romance
Classificação:

Jackson Maine (Bradley Cooper, de O Lado Bom da Vida) é um músico famoso que só consegue se apresentar após tomar algumas doses. Após um show, Jack vai até um bar de drag queens atrás de mais bebida. Lá, ele vê Ally (Lady Gaga, de American Horror Story) cantando La Vie en Rose e se encanta com o talento dela.

Ally já estava desistindo do sonho de ser cantora, quando Jack a faz cantar uma das músicas que ela compôs em um de seus shows. O vídeo da apresentação viraliza e ela começa a ficar famosa. À medida que a carreira dela decola, Jack precisa lutar contra seus próprios demônios.


O filme conta a trajetória desses dois artistas de forma gradativa e realista. O roteiro e a direção focam nos personagens e nas suas relações. Bradley Cooper dirigiu o filme de forma precisa, conseguindo imprimir uma identidade própria. Cooper também escreveu o roteiro ao lado de Eric Roth, de Forrest Gump, e Will Fetters, de Lembranças.


Nasce uma Estrela é a quarta versão dessa história nos cinemas. Lady Gaga assume o personagem que já foi de Janet Gaynor, em 1937, Jude Garland, em 1954, e Barbra Streisand, em 1976. As duas primeiras ganharam o Oscar de Melhor Atriz, enquanto Barbra Streisand ganhou o Oscar de Melhor Canção. Será que Lady Gaga vai ganhar o seu primeiro Oscar? Ela já ganhou o Globo de Ouro pela sua atuação na série American Horror Story.

O ator Bradley Cooper também merece uma indicação. Seu Jack é introspectivo, contido... mas a gente consegue sentir sua luta interna em cada movimento. Ele também baixou o tom de voz, impregnando-a com um sotaque do sudoeste americano. Fiquei surpreso com sua habilidade como guitarrista e como cantor também.


A primeira coisa que chamou minha atenção foi o som. Nasce uma Estela começa em um dos shows de Jack e, apesar das salas de cinema nacionais não serem famosas pela qualidade do som, me senti no meio de um show ao vivo.

O filme traz alguns personagens com diversidade de sexo e de gênero. Pena que todos são secundários, mas qualquer tentativa de mostrar gays e drags de forma positiva já é louvável.

Nasce uma Estrela tem um roteiro simples, mas os atores conseguem manter o interesse do espectador. Os números musicais são bem feitos e a trilha sonora é excelente! The Shallow com certeza vai receber uma indicação ao Oscar de Melhor Canção.


O filme é muito bom e merece ser visto nos cinemas.

Com amor, André

Um comentário:

  1. Oi André, como sempre uma indicação sua sobre filme é sempre válida... Parabéns pela crítica.. Bjs

    ResponderExcluir

Oie,
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.
Sua opinião é muito importante para mim.