Crítica | Christopher Robin: Um Encontro Inesquecível

17 de ago de 2018
Ursinho Pooh

Oi Perdidos,

Fui assistir Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível. Mais uma vez os tradutores criaram um subtítulo do nada... Estou cansado de bater sempre na mesma tecla, então, vamos ao que interessa.

Christopher Robin não é um filme infantil, apesar de ser uma produção da Disney baseada nos desenhos do Ursinho Pooh. Mesmo assim, ele desperta a criança que existe dentro de cada um de nós. Nunca gostei muito do Ursinho Pooh e sua turma, mas me vi segurando o choro já no início do filme.

Um Encontro Inesquecível
Título: Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível
Título Original: Christopher Robin
País: EUA
Ano: 2018
Diretor: Marc Foster
Atores: Ewan McGregor, Hayley Atwell e Bronte Carmichael
Gênero: Animação, Comédia, Aventura
Produção: Disney
Classificação:


A vida de Christopher Robin nos é contada através das páginas de um livro. Cada capítulo é uma experiência vivenciada por ele. Das brincadeiras com os amigos Pooh, Leitão, Tigrão e Ió, no Bosque dos Cem Acres, à ida ao colégio interno, em Londres. Da morte do pai à morte dos sonhos.

Você não pode ficar no seu canto da floresta esperando que os outros venham até você. Às vezes, você precisa ir até eles. (A. A. Milne)

Christopher cresceu e, hoje, é um adulto infeliz que trabalha como gerente de eficiência em uma empresa de malas. Ele se dedica tanto ao trabalho que não percebe que está se afastando cada vez mais de sua esposa e filha.

Pooh

Christopher é obrigado a ficar em Londres a trabalho no final de semana que tinha prometido viajar com a família para o campo. Elas vão sozinhas e ele se sente perdido, mas o amigo de infância reaparece para resgatar a criança amável e brincalhona que ainda existe dentro dele e dar um novo significado para a sua vida adulta.

Fazer Nada costuma ser o que leva a gente a fazer as melhores Algumas Coisas. (Ursinho Pooh)

O diretor Marc Foster, do excelente Em Busca da Terra do Nunca (2004), imprime um ritmo mais lento ao longa, apesar de nunca ser maçante. Mas, os mais novos podem ficar impacientes. A aparência dos amigos de Christopher Robin parece bichos de pelúcia e funciona muito bem no filme. Acredito que a venda de brinquedos baseado no filme vai ser grande. Fiquei com vontade de ter um, principalmente do Pooh e do Ió.

Outro destaque fica por conta do roteiro escrito por Allison Schroeder, de Estrelas Além do Tempo (2016), Tom McCarthy, de Spotlight: Segredos Revelados (2015) e Alex Ross Perry. O roteiro é cheio de frases de efeito e lições de vida que não soam artificiais quando são ditas por um ursinho de cérebro pequeno. A Universo dos Livros acabou de lançar a novelização do filme escrita por Elizabeth Rudnick.

Um Encontro Inesquecível

O que me fez segurar as lágrimas no início do filme foi ver como a imaginação de uma criança basta para ela ser feliz e que nunca devemos deixar essa criança morrer dentro da gente, assim como nos ensinou Toy Story, outro filme emocionante.

Todo mundo sabe o quanto adoro Peter Pan, basta olhar para o meu blog. Me emociono com os personagens de J. M. Barrie que lutam para continuarem crianças num mundo onde as responsabilidades sufocam cada vez mais o nosso lado mágico.

Liberte a criança que existe em você e se emocione com Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível.

Pooh Ió Leitão
Tigrão Canguru

Com amor, André

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oie,
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.
Sua opinião é muito importante para mim.