Resenha | Mais Escuro

16 de jan de 2018

Oi Perdidos,

Tudo que é muito hypado acaba gerando críticas negativas por algumas pessoas. Não estou me referindo aos haters, não. É que quando uma música, um filme ou um livro é muito divulgado a gente acaba enjoando de tanto ouvir falar.

Isso aconteceu com Titanic. Nossa! Não aguentava mais ouvir a voz da Celine Dion cantando My Heart Will Go On, apesar de ter amado a música quando foi lançada. Depois veio Crepúsculo e, recentemente, Cinquenta Tons de Cinza.

Título: Mais Escuro
Série: Cinquenta Tons de Cinza #5
Autora: E. L. James
Tradutores: Andrea Gottlieb, Catharina Pinheiro e Regiane Winarski
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance, Hot
Páginas: 492
Ano: 2018
Classificação: ★★★1/2

Fiquei sabendo sobre os livros da autora E. L. James no programa Manhattan Connection da GNT que debatia o fato das mulheres americanas estarem obcecadas pela história de amor e dominação de Cinquenta Tons de Cinza. Quando o livro foi lançado aqui no Brasil, fiquei na dúvida se leria ou não. Acabei sendo convencido por uma tia e, no final, fiquei sem entender o que fazia com que as mulheres gostassem de uma história onde eram retratadas como uma submissa em um relacionamento abusivo. Apesar disso, fiquei curioso e ao ler Cinquenta Tons Mais Escuros percebi que a história nada mais é do que uma releitura de A Bela e A Fera.

Cena do Baile de Máscaras em Cinquenta Tons Mais Escuros 
Aceito que várias críticas que fazem à história e à escrita da autora procedem, mas acabei me envolvendo com os personagens e quando isso acontece comigo, acabo relevando questões técnicas.

Após sentir na pele até onde Christian Grey pode ir, Anastasia termina tudo com Christian. Ele não consegue tirar Ana da cabeça e tenta reconquistá-la. Está disposto a fazer tudo da maneira dela. O problema é que eles terão que enfrentar uma ex-submissa perturbada, a Sra. Robinson e o novo chefe dela. Será que um amor já complicado como o deles sobrevive a tantas provações? Todo mundo torce para que a bela e inocente Ana consiga mudar o sombrio e dominador Christian.

Detalhei mais a história na resenha de Cinquenta Tons Mais Escuros. Não quis ser redundante, então, se quiser saber mais detalhes, basta clicar aqui. Mais Escuro conta a mesma história só que pelos olhos de Christian, o que é muito legal. Gosto de histórias narradas pelo personagem masculino. Temos a oportunidade de ver o que aconteceu quando ele ficou sozinho com Leila, como conseguiu chegar em casa após o acidente com o Charlie Tango ou como foi sua conversa com a mãe, após ela descobrir sobre Elena e ele. Também é interessante saber o que Christian estava pensando quando se colocou como o submisso de Ana e revela seu grande segredo ou quando chega em casa após o acidente e é recebido pela família e amigos. Adorei essa parte.

Christian Grey se coloca como o submisso de Anastasia em Cinquenta Tons Mais Escuros
Gostei muito da capa e do livro. A diagramação está tranquila e a leitura das 492 páginas flui muito bem. A tradução para o português foi feito a seis mão. Interessante! Bom trabalho da Editora Intrínseca. Se Cinquenta Tons Mais Escuros é o melhor da primeira trilogia. Grey é o melhor da segunda, até o momento. Gostei muito de Mais Escuro, mas Grey foi mais impactante. Foi muito melhor se comparado com Cinquenta Tons de Cinza. A diferença de qualidade entre Cinquenta Tons Mais Escuros e Mais Escuro não é tão grande assim. Se é que vocês me entendem.

Dia 8 de fevereiro estreia a adaptação de Cinquenta Tons de Liberdade, preparados?


Mais Escuro é para os fãs da série.
Continuo shippando Christian Grey e Anastasia Steele.
Fazer o que??

Resenha dos outros livros da série:
[Cinquenta Tons de Cinza #2] Cinquenta Tons Mais Escuros | E. L. James ★★★★★
[Cinquenta Tons de Cinza #3] Cinquenta Tons de Liberdade | E. L. James 
[Cinquenta Tons de Cinza #4] Grey | E. L. James ★★★

Beijos,

Velejar tem uma poesia
tão antiga quanto o mundo.
(Antoine de Saint-Exupéry)

13 comentários:

  1. É o mal de tentar "melhorar" a imagem da mocinha, porque todo mundo preferiu o personagem masculino. Eu lamento pelos fãs da saga que seja assim e fica a torcida pro próximo livro ser um arraso. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi André!
    Essa semana li Grey e gostei bastante, realmente muito melhor que 50 tons.
    Adorei sua resenha, espero poder ler Mais escuro em breve.
    =)

    ResponderExcluir
  3. Que bacana saber a sua opinião André, infelizmente eu não sou muito chegada em filmes/livros assim, mas a sua resenha ficou ótima.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem André?

    Então, eu achei a sua publicação super caprichada, a resenha ficou muito boa e você está de parabéns. Eu particularmente não curto esse tipo de leitura ou filme, acho apelativo. Mas se você gosta, isso que importa, aproveite essa série!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Eu já ou todos menos esse é pelo visto deve ser bem melhor que Grey.
    Gostei muito da sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oie
    eu li o primeiro e o segundo livro mas sinceramente não tive vontade de continuar pois foi uma historia que me irritou a cada páginas por inúmeros motivos, ainda assim, entendo quem goste e imagino que devem gostar bastante do gênero mas para mim realmente não funciona, parabéns pela resenha

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oii
    Faz muitos anos que li os livros, mas na época eu amei! Os filmes são médios para mim! Não li nem pretendo ler Grey, bom saber que você achou melhor!
    Bjus

    ResponderExcluir
  8. Não leria kakaka, nem os filmes eu ainda tive curiosidade de assistir. Cada um tem seu tipo de leitura, quem sabe depois.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Só li o primeiro (50 tons de cinza mesmo) e realmente não me interessei muito. A escrita da autora não me agradou, mas que bom que este é melhor que o primeiro.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  10. Olá! Eu assisti apenas o primeiro filme até o momento. Achei muito bom seu post, bem caprichado. Que bom você gostar da série. super bjooo

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Se eu disser que não li os livros, acredita? Essa trilogia nunca foi uma que me encheu os olhos, mas apesar disso eu fiquei muito curiosa para conhecer a história. O que me levou a assistir aos filmes e esse segundo foi o que mais gostei, achei os personagens mais amadurecidos em comparação com o primeiro e quero muito assistir ao terceiro. O que me resta fazer agors é esperar, rs

    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Meu problema com cinquenta tons de cinza é a forma como tudo foi criado de modo a suavizar e romantizar coisas e ações que eu acho bem complicadas, e nisso se inclui determinados tipos de abuso, mas acho que cada um lê/assiste o que quer.

    ResponderExcluir
  13. Olá...tái uma modinha que não me pega. Sério, não tenho o menor interesse em ler as obras e muito menoas conferir as adaptações (uma que acho aqueles 2 atores uns sonsos, kkk). A trilogia original foi um bummm, na época eu já não me interessei, pois não curto livro hot e o pessoal flava muito mal da escrita da autora.

    Mas tem q ter algo de bom pois tanta gente gosta...que bom que curtiu a obra, eu tenho varias amigas que goataram dos anteriores, vou recomendar pra elas.

    Abraços

    ResponderExcluir

Oie,
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.
Sua opinião é muito importante para mim.