Resenha | Cinquenta Tons de Liberdade

30 de jan de 2018
Cinquenta Tons de Liberdade

Oi Perdidos,

Vocês já sabem que estava planejando reler Cinquenta Tons de Liberdade antes do lançamento da adaptação cinematográfica nos cinemas. A Intrínseca aproveitou que as atenções estão voltadas para a história criada pela autora americana E. L. James e lançou Mais Escuro, que é a versão de Grey para Cinquenta Tons Mais Escuros, e Cinquenta Tons de Liberdade com a capa do filme.

Intrínseca
Título: Cinquenta Tons de Liberdade
Série: Cinquenta Tons de Cinza #3
Autora: E. L. James
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance, Hot
Páginas: 544
Ano: 2012
Classificação:

Cinquenta Tons de Liberdade é o terceiro e último livro da trilogia que traz o tão aguardado desfecho da ardente história de amor entre a recatada estudante Anastasia Steele e o enigmático empresário Christian Grey. A trilogia foi um fenômeno editorial sem precedentes e arrecadou tanto fãs como detratores.

Estou no time dos fãs. Tive algumas críticas ao primeiro livro, mas fiquei curioso de como a autora levaria aquele romance sadomasoquista em diante. Quando dei por mim, já estava envolvido pelo casal central. É meu Guilty Pleasure.

Prometo amá-la fielmente, renunciando a todas as outras, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, não importa o rumo que nossa vida tomar. Eu a protegerei e a respeitarei, e confiarei em você. Partilharei das suas alegrias e tristezas, e a confortarei quando preciso. Prometo cuidar de você, apoiar suas esperanças e seus sonhos e mantê-la segura ao meu lado. Tudo que é meu agora passa a ser também seu. Dou-lhe a minha mão, meu coração e meu amor a partir deste momento, até que a morte nos separe.

Ana e Christian finalmente se casam, mas alguns fantasmas do passado não desapareceram completamente e vão voltar para assombrar a felicidade do casal. Jake ainda quer vingança por ter sido despedido pelo Christian, mas a perseguição doentia dele por Christian e sua família pode indicar que há algo a mais nessa história. Elena também aparece em um momento complicado na vida de Ana e Christian.

Em Cinquenta Tons de Liberdade conhecemos mais sobre a infância de Christian na época em que foi adotado. São novas peças para preenchermos o quebra-cabeça que é a mente desse executivo fodido em todos os seus cinquenta tons. Anastasia fica mais confiante, enfrentando as outras mulheres que dão em cima de seu marido e a história ganha em tensão e ação quando Jack coloca em prática seus planos de vingança. Infelizmente, voltamos a ter a companhia do inconsciente de Anastasia. Não me lembro do inconsciente dela aparecendo em Cinquenta Tons Mais escuros. Esse é um dos motivos que me faz gostar mais dos livros escritos sob a visão de Christian. Não temos os questionamentos e as dúvidas de Anastasia.

E. L. James

Se você leu Cinquenta Tons de Cinza e Cinquenta Tons Mais Escuros deve ler o capítulo final dessa história sexy. E. L. James sabe escrever cenas de sexo bem sacanas e a trilogia é para quem gosta de romances eróticos, como eu.

Ansioso para o lançamento de Cinquenta Tons de Liberdade nos cinemas? Semana que vem trago a resenha do filme.

Resenha dos outros livros da série:
[Cinquenta Tons de Cinza #2] Cinquenta Tons Mais Escuros | E. L. James ★★★★★
[Cinquenta Tons de Cinza #4] Grey | E. L. James ★★★
[Cinquenta Tons de Cinza #5] Mais Escuro | E. L. James ★★★★

Beijos.

A segunda à direita e depois
sempre em frente até o amanhecer

4 comentários:

  1. Olá André, eu também gostei muito da trilogia como um todo e achei o último livro bem bacana pois os personagens crescem como pessoas resolvendo seus próprios complexos. Tanto a Ana está mais madura como o Grey coloca a sua vida em perspectiva. Mas também estou gostando bem mais da versão Grey. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi André, tudo bom?
    Eu confesso que tentei ler o primeiro livro, mas o enredo não me agradou muito, mesmo assim, não deixa de ser uma trama interessante no meu ponto de vista. Gostei da sua resenha, você escreve muit bem. É a minha primeira vez aqui no seu blog, e eu gostei muito!
    Um abraço!!

    https://sonhoinverossimil.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi,
      Obrigado pela sua visita e pelas palavras de carinho.
      Não gosto muito de resenhar livros de séries ou trilogias porque muita coisa passa a ser spoiler e outras são repetitivas.
      Beijos,
      André

      Excluir
  3. A única coisa linda é Dakota! É inevitável pensar durante os 105 minutos de duração de “Cinquenta Tons de Liberdade” sobre qual é mesmo a história do filme. Seria sobre a relação do casal regada a sexo ou o perigo trazido pelo ex-chefe de Anastasia Steele (Dakota Johnson)? Ou então estaríamos vendo uma tentativa de Christian Grey (Jamie Dornan do óptimo Meu Jantar Com Hervé) superar os traumas do passado? O fato é que pouco importa: “Cinquenta Tons de Liberdade” é um filme tão antiquado e sem sentido que, mesmo divertindo com tantos absurdos, irrita tamanho o machismo em cena. Por outro lado, o fim da trilogia, talvez, marque o fim de uma era de anacronismo em Hollywood e produções tão machistas como essa não sejam mais aceitas tanto pelo público quanto pela própria indústria do cinema.

    ResponderExcluir

Oie,
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.
Sua opinião é muito importante para mim.