Listas | Top 10 - Filmes

29 de dez de 2017

Oi Perdidos,

Como é costume, fizemos a lista com os 10 filmes que mais se destacaram em 2017. Não sei se este foi um bom ano para o cinema. Tivemos continuações de grandes franquias e vários filmes de super-heróis, mas foram poucos os que conseguiram trazer algo de novo. Mais da metade dos filmes que aparecem nesta lista foram lançados no primeiro semestre. Vamos à lista?





La La Land – Cantando Emoções

Título Original: La La Land
Direção: Damien Chazelle
Gênero: Musical

Resenha

Comentário:
Filme lançado em janeiro deste ano e vencedor de 6 Oscars: Melhor Direção (Damien Chazelle), Melhor Atriz (Emma Stone), Fotografia, Canção Original (“City of Stars”), Design de Produção e Trilha Sonora. Assisti o filme diversas vezes e acabei enjoando um pouco dele. O filme é uma grande homenagem aos musicais clássicos do cinema. Destaque para a excelente trilha sonora.

Sinopse:
Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

Lion – Uma Jornada para Casa
Título Original: Lion
Direção: Garth Davis
Gênero: Drama biográfico

Comentário:
Filme feito para emocionar que foi indicado para 6 Oscars em 2017. Não levou nenhuma estatueta, mas as indicações serviram para promover a bela história de superação de Saroo. Destaque para Sunny Pawar que interpreta o jovem Saroo e Nicole Kidman que interpreta a mãe adotiva e foi indicada ao Oscar de Atriz Coadjuvante.

Sinopse:
Quando tinha apenas cinco anos, o indiano Saroo (Dev Patel) se perdeu do irmão numa estação de trem de Calcutá e enfrentou grandes desafios para sobreviver sozinho até ser adotado por uma família australiana. Incapaz de superar o que aconteceu, aos 25 anos ele decide buscar uma forma de reencontrar sua família biológica.


Moonlight: Sob a Luz do Luar
Título Original: Moonlight
Direção: Barry Jenkins
Gênero: Drama

Comentários:
Moonlight foi premiado como o Melhor Filme no Oscar de 2017. É um filme forte e realista que conta a história de um negro pobre em três fases de sua vida. O melhor do filme é que o diretor e roteirista Barry Jenkins não coloca Chiron, seu personagem principal, numa posição de réu. Um filme necessário para o momento político dos EUA.

Sinopse:
Três momentos da vida de Chiron, um jovem negro morador de uma comunidade pobre de Miami. Do bullying na infância, passando pela crise de identidade da adolescência e a tentação do universo do crime e das drogas, este é um poético estudo de personagem.


Logan
Título Original: Logan
Diretor: James Mangold
Gênero: Drama, Aventura

Resenha

Comentários:
O diretor e roteirista James Mangold trouxe um Wolverine velho e amargurado para a despedida de Hugh Jackman do personagem. Inspirado na minissérie de quadrinhos Velho Logan, o filme está mais preocupado em discutir questões psicológicas do que mostrar cenas de ação mirabolantes e esse é o grande trunfo de Logan.

Sinopse:
Em 2029, Logan (Hugh Jackman) ganha a vida como chofer de limusine para cuidar do nonagenário Charles Xavier (Patrick Stewart). Debilitado fisicamente e esgotado emocionalmente, ele é procurado por Gabriela (Elizabeth Rodriguez), uma mexicana que precisa da ajuda do ex-X-Men para defender a pequena Laura Kinney (Dafne Keen). Ao mesmo tempo em que se recusa a voltar à ativa, Logan é perseguido pelo mercenário Donald Pierce (Boyd Holbrook).


Fragmentado
Título Original: Split
Direção: M. Night Shyamalan
Gênero: Suspense

Comentários:
Fragmentado se destaca pela ótima atuação de James McAvoy e pelo retorno do diretor e roteirista de O Sexto Sentido aos filmes de qualidade. Fazia tempo que ele estava devendo um bom filme. Temos aqui um filme sobre múltiplas personalidades com um toque de sobrenatural.

Sinopse:
Kevin (James McAvoy) possui 23 personalidades distintas e consegue alterná-las quimicamente em seu organismo apenas com a força do pensamento. Um dia, ele sequestra três adolescentes que encontra em um estacionamento. Vivendo em cativeiro, elas passam a conhecer as diferentes facetas de Kevin e precisam encontrar algum meio de escapar.


Mulher Maravilha
Título Original: Wonder Woman
Diretora: Patty Jenkins
Gênero: Aventura

Resenha

Comentários:
Incrível observar que dentre todos os Top 10, esse é o único filme dirigido por uma mulher. A atriz israelense Gal Gadot é a própria Princesa Diana e ela consegue, juntamente com a diretora do filme, mostrar o poder feminino sem precisar levantar bandeiras. Este é o primeiro sucesso da DC nos cinemas de público e crítica após a sua renovação. Só não gostei muito do final do filme que destoa do restante do filme. Mas, isso não tira em nada o mérito de toda a produção.

Sinopse:
Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.


Carros 3
Título Original: Cars 3
Diretor: Brian Fee
Gênero: Desenho

Comentários:
Após o fracasso de Carros 2, essa sequência não me animava tanto, porém os roteiristas voltaram ao cerne do primeiro filme que é a amizade e o poder de superação. Relâmpago McQueen já é um veterano e está sendo ultrapassado por máquinas mais rápidas e modernas. Como ele vai lidar com isso é a questão. Uma bela analogia sobre o envelhecimento. Uma animação divertida que nos faz refletir ao mesmo tempo.

Sinopse:
Veterano das pistas, o campeoníssimo Relâmpago McQueen se vê em apuros após o surgimento de um novato bastante veloz, Jackson Storm, que utiliza de alta tecnologia nos treinamentos. Obrigado a chegar ao limite para batê-lo, McQueen acaba sofrendo um sério acidente durante uma corrida, que o obriga a abandonar o campeonato daquele ano. Prestes a iniciar a próxima temporada, ele se vê em dúvidas sobre se consegue ser rápido o suficiente para bater Storm e, por causa disto, busca por respostas.


Homem-Aranha: De Volta ao Lar
Título Original: Spider-Man: Homecoming
Diretor: Jon Watts
Gênero: Ação

Resenha

Comentários:
Muita gente não gostou desse filme, mas eu percebo que há dois filmes distintos dentro de Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Há o filme sobre o super-herói e o filme sobre Peter Parker. É nesse último que sobressai todas as qualidades do filme. O diretor Jon Watts nos remete aos ótimos filmes de John Hughes (Curtindo a Vida Adoidado e Clube dos Cinco) que sabia como ninguém retratar os dramas e romances juvenis. Tom Holland também conseguiu achar o tom certo para o personagem.

Sinopse:
Depois de atuar ao lado dos Vingadores, chegou a hora do pequeno Peter Parker (Tom Holland) voltar para casa e para a sua vida, já não mais tão normal. Lutando diariamente contra pequenos crimes nas redondezas, ele pensa ter encontrado a missão de sua vida quando o terrível vilão Abutre (Michael Keaton) surge amedrontando a cidade. O problema é que a tarefa não será tão fácil como ele imaginava.


Em Ritmo de Fuga
Título Original: Baby Driver
Diretor: Edgar Wright
Gênero: Ação

Comentários:
A grande surpresa do Ano! O filme tem um toque de Tarantino, uma direção inovadora e ótimos atores. A trilha sonora é de arrasar e pontua todo o filme dando o ritmo para as perseguições de carro e os tiroteios. Ansel Elgort foi indicado ao Globo de Ouro para Melhor Ator em Musical ou Comédia e a Edição já ganhou diversos prêmios pelos EUA.

Sinopse:
O jovem Baby (Ansel Elgort) tem uma mania curiosa: precisa ouvir músicas o tempo todo para silenciar o zumbido que perturba seus ouvidos desde um acidente na infância. Excelente motorista, ele é o piloto de fuga oficial dos assaltos de Doc (Kevin Spacey), mas não vê a hora de deixar o cargo, principalmente depois que se vê apaixonado pela garçonete Debora (Lily James).


Com Amor, Van Gogh
Título Original: Loving, Vincent
Diretores: Dorota Kobiela e Hugh Welchman
Gênero: Animação, Drama, Biografia

Resenha

Comentários:
O filme foi todo pintado à mão. Cada um dos 65.000 frames do filme é uma pintura a óleo sobre tela, usando a mesma técnica de Van Gogh. É como se assistíssemos a "quadros em movimento". O filme é uma grande homenagem à vida e a obra de Vincent Van Gogh. Há várias referências a suas obras e todas foram muito bem inseridas na narrativa do filme. Uma experiência única que merece ser vista.Sinopse:
1891. Um ano após o suicídio de Vincent Van Gogh, Armand Roulin (Douglas Booth) encontra uma carta por ele enviada ao irmão Theo, que jamais chegou ao seu destino. Após conversar com o pai, carteiro que era amigo pessoal de Van Gogh, Armand é incentivado a entregar ele mesmo a correspondência. Desta forma, ele parte para a cidade francesa de Arles na esperança de encontrar algum contato com a família do pintor falecido. Lá, inicia uma investigação junto às pessoas que conheceram Van Gogh, no intuito de decifrar se ele realmente se matou.


O Rei do Show
Título Original: The Greatest Showman
Diretor: Michael Gracey
Gênero: Musical

Comentários:
As músicas são dos mesmos compositores que fizeram La La Land e as coreografias são ótimas, criando momentos memoráveis. O filme discute a inclusão e o preconceito de forma leve, mas, ao mesmo tempo, contundente. Conheça a história de P. T. Barnum, o criador do Circo.

Sinopse:
De origem humilde e desde a infância sonhando com um mundo mágico, P.T. Barnum (Hugh Jackman) desafia as barreiras sociais se casando com a filha do patrão do pai e dá o pontapé inicial na realização de seu maior desejo abrindo uma espécie de museu de curiosidades. O empreendimento fracassa, mas ele logo vislumbra uma ousada saída: produzir um grande show estrelado por freaks, fraudes, bizarrices e rejeitados de todos os tipos.

Que venham mais e melhores filmes em 2018!

Beijos

Pense em uma coisa boa
e num instante você voa.
 Pense em uma coisa linda
se você não voa ainda.

2 comentários:

  1. Nossa André, fiquei até triste.. do seu top 10 só assisti 2. Mas sempre fico satisfeita ao ler suas críticas dos filmes, que no ano e 2018 tenhamos filmes melhores. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi André
    Quase não fui ao cinema este ano, quero muito ver La La Land – Cantando Emoções. Concordo que o ano não foi lá estas coisas...
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Top Comentarista de Janeiro, serão 3 ganhadores e você ainda pode ganhar um livro a sua escolha.

    ResponderExcluir

Oie,
Obrigada por visitar os Garotos Perdidos.
Sua opinião é muito importante para mim.