Resenha | Vida e Morte

7 de nov de 2017

Crepúsculo

Oi Perdidos,

Li Crepúsculo em um momento difícil da minha vida e foi com essa série que voltei a ler após um longo período de abstinência. Por isso, tenho um carinho especial pelo romance de Bella e Edward.

Tinha medo de ler Vida e Morte e ele matar as boas lembranças, mas Bete, do blog Clube do Farol falou que eu podia ler sem medo. Acreditei nela e voltei mais uma vez para Forks.

Título: Vida e Morte
Série: Crepúsculo #6
Autora: Stephenie Meyer
Tradutora: Ryta Magalhães Vinagre
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance, Sobrenatural, Vampiro
Páginas: 391
Ano: 2015
Classificação:


Falar de Vida e Morte é complicado porque Stephenie Meyer pegou a história de Crepúsculo e inverteu o gênero de todos os personagens, com exceção de Charles e Renée. A explicação dada é que as pessoas sempre acusaram Bella de ser a típica donzela em apuros e a autora justificava que Bella é um ser humano normal cercada de super-heróis ou supervilões (como preferir). Não faria nenhuma diferença se o personagem principal fosse do sexo masculino.

Tendo essa ideia em mente, a autora decidiu reescreveu a história transformando Bella em Beaufort e Edward em Edythe para comemorar os 10 anos de Crepúsculo. Como o tempo voa!

Tentei ler o livro antes, mas ficava tentando ligar os personagens de Vida e Morte com o seu correspondente em Crepúsculo e a leitura não estava fluindo. Resolvi tentar novamente sem fazer essas conexões, como se essa fosse uma nova história e a leitura foi bem mais prazerosa.

Felizmente para nós, leitores, a autora estava errada! Faz muita diferença inverter os gêneros! Beau continua desajeitado, mas isso faz mais sentido em um rapaz que cresceu rápido em pouco tempo. A maioria dos adolescentes que conheço são estabanados. Além disso, apesar dele também ser salvo diversas vezes por Edythe, ele não se coloca numa posição de vítima o tempo todo. A personalidade dele é bem mais forte, sem ficar indeciso a toda hora. Edythe também está bem mais saidinha se a compararmos com o introvertido Edward.

Outro ponto legal é que os momentos em que Beau e Edythe estão juntos são bem mais sensuais. Os toques e os olhares são bem intensos. Stephenie Meyer também uniu algumas passagens que fazem mais sentido dessa forma e a história ganha em ritmo.

O motivo para eu não querer que você fosse vampiro não era por você não ser especial o bastante, era por você ser tão especial que merecia mais. Eu queria que você tivesse o que todos nós sentimos falta, uma vida humana. Mas você tem que saber, se fosse só por minha causa, se não houvesse preço para você pagar, esta noite seria a melhor da minha vida. Venho olhando a cara da eternidade há um século, e esta noite é a primeira vez em que me pareceu bonita. Por sua causa.

O maior problema do livro é que alguns pronomes pessoais não foram trocados, gerando momentos engraçados, como se estivéssemos lendo um romance LGBTQ+. Não sei se o erro foi na tradução ou é do próprio texto original. Outra dificuldade que senti foi por causa do peso do livro. Fica pesado na hora de ler. Não era necessário lançarem uma edição dupla com a releitura e a versão original, afinal, quem ainda não leu Crepúsculo? Quem ainda não leu, pode muito bem comprar o primeiro livro da série.

Me diverti muito lendo Vida e Morte e com certeza shipo mais Beau e Edythe do que Bella e Edward. Há outras mudanças, mas não posso contar para não dar spoilers. Sim, há surpresas!

Crepúsculo Reimaginado conseguiu fazer com que fizesse uma viagem no tempo e sentisse tudo novamente. Obrigado, Bete!

Beijos

Pense em uma coisa boa
e num instante você voa.
 Pense em uma coisa linda
se você não voa ainda.

14 comentários:

  1. Yoooo, Andore, genki?

    Noussaaa, André, to com medo de ler vida e morte agora. Não quero gostar mais de Beau e Edythe, quero continuar amando a Bella. Podem falar o que quiserem dela, não tô nem aí, eu a amo com ela é. Rsrsr
    Achava que o none deles ficariam Eduarda e Bells hahaha Dann que burra mds
    Enfim, adorei saber o que você achou da história e espero que eu tenha coragem de lê -la.

    Obs.: por saber do peso, pretendo ler em ebook. ;)

    Ja ne, Mia (Mafiosos Literários)

    ResponderExcluir
  2. Que resenha ótima André, espero curtir a leitura tbm. Bjs

    ResponderExcluir
  3. André!! Obrigada por lidar tão bem com minhas personalidades literárias, por ler esse livro e amar como eu!! Eu amo essa história por concordar com tudo o que você disse e por não ter me feito odiar a saga original só tirar aquele peso que eu tinha sabendo que tinham coisas que poderiam ser melhores e realmente foram. A maturidade da S.M. fica evidente 10 anos depois e me faz aceitar melhor o que não foi tão bom em Crepúsculo. Afinal com o peso do sucesso vieram as cobranças de mais; ♥♥♥♥♥ pra sua resenha!! Sou sua fã!

    ResponderExcluir
  4. Assim fico sem palavras.
    Obrigado por ser minha amiga 😘

    ResponderExcluir
  5. É tão bom o poder dos livros. Que bom que Crepúsculo lhe resgatou novamente para o mundo da literatura!Nunca li a saga, nem vi os filmes, só que admiro muito a importância que ela teve na vida de muitos leitores. Fico feliz que essa "continuação" tenha lhe agradado. Eu particularmente não sou muito fã de novas versões de histórias já existentes, eu e minha mania de querer ler uma infinidade de livros e saber que se parar para ler algo que já li, estarei deixando de ler novos mundos e novas histórias. Bem, é um problema meu. haha

    Até logo,
    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi André tudo bem?
    Esse é um dos livros que mais tenho vontade, a maioria não curte muito a série, porque antes era uma febre, mas eu fiquei louca e definitivamente preciso, além de achar essa edição linda! ótima resenha querido.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Hey, André, tudo bem?

    Assim como você, eu tenho um carinho especial por essa série, por vários motivos. E, mesmo gostando muito, eu não tenho planos de ler Vida e Morte. Gosto da história de Edward e Bella do jeito que é e não tenho curiosidade em saber da versão. Sem contar que sua resenha é a primeira resenha positiva que leio sobre esse livro, pois outras pessoas que o leram odiaram! rsrs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Eu sou uma fã de crepúsculo. Não nego, voltei ao mundo da leitura por conta dele mas esse livro apesar de ter muitas oportunidades para ler não me atraíram. Pode ser que em algum momento minha curiosidade cresça mas no momento não.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Li o livro até a página cem, mas o que me fez abandonar foi realmente a escrita e desenvolvimento da autora. Não consegui me conectar com a leitura.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  10. André
    Ganhei este livro da Adriana pois sempre gostei sa Saga Crepúsculo, tinha imaginado que era a versão da história pelo Edward e agora vi que me enganei profundamente. Já vou passa-lo para frente pois fiquei muito interessada nele agora que descobri do que se trata! Acho que esta troca de géneros vai ser divertida.
    abraços
    Gisela
    www.lerparadivertir.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oie
    muito boa sua resenha mas não sei se leria por agora, eu li dois livros da saga crepúsculo mas não me dei muito bem então essa novidade não chamou muito a minha atenção, ainda assim que bom que curtiu e ótima dica para os fãs

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi André, tudo bem? :)

    Amigo, eu nem sei o que te dizer desse livro. Em 75% da leitura, eu tive que lutar contra meu cérebro que insistia em relacionar os gêneros trocados com os personagens originais (principalmente o Beau e a Edith). Já nos 25% finais, onde a Stephenie Meyer trouxe ~aquele final~, eu só conseguia pensar em como é importante a gente NÃO mexer em coisas que já estão funcionando muito bem, obrigado.

    Ah, sei lá... Eu achei que foi meio que um trabalho preguiçoso, sabe? Antes a autora tivesse feito como a E. L. James, que resolveu recontar a história de "Cinquenta Tons de Cinza" pela perspectiva do Christian Grey. Mas em "Vida e Morte", eu senti que a Stephenie Meyer nem se esforçou muito em criar uma nova personalidade para os protagonistas. Quero dizer, quantos meninos você conhece que vivem tropeçando nos próprios cadarços e corando feito bobos com ar de introspectivos? E qual a probabilidade de eles se apaixonarem por garotas vampiras que mais parecem leopardos andando sobre as patas traseiras?

    Enfim... Acho que não gostei muito dessa adaptação, rs. Espero quer os novos escritos da autora sejam um pouquinho melhores.

    Beijos,

    Thiago | O Leitor Preguiçoso
    www.leitorpreguicoso.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá, André! Tudo bem?

    Gostei da sua resenha, eu confesso que já vi esse livro diversas em promoção aqui na Americanas e nunca tive curiosidade de em ler, porém ler a sua resenha fiquei intrigado e curioso. Não pretendo ler por agora, mas quem sabe no futuro?
    Abraço

    ResponderExcluir