Crítica | A Noiva

3 de nov de 2017

Oi Perdidos,

Gosto muito de filmes de terror, então, acabei dando uma chance ao filme A Noiva, já que Depois Daquela Montanha não estreou no cinema que vou sempre. Esses dois filmes foram as maiores estreias dessa semana.

Devo ver Depois Daquela Montanha, filme baseado no livro homônimo, neste final de semana ou durante a semana que é mais barato.

Título: A Noiva
Título Original: Nevesta
País: RUS
Ano: 2017
Diretor: Svyatoslav Podgaevskiy
Atores: Victoria Agalakova, Vyacheslav Chepurchenko, Aleksandra Rebenok e Igor Khripunov
Gênero: Suspense, Terror, Estrangeiro
Distribuição: Paris Filmes
Classificação:


A Noiva começa no século XIX mostrando um fotógrafo que resolve tirar uma foto de sua falecida noiva com os olhos pintados nas pálpebras fechadas. Segundo a lenda, acredita-se que essa era uma forma de prender o espírito da pessoa amada na foto. Muita gente acreditava nisso quando a fotografia foi criada.


Marcado pelo sofrimento, o fotógrafo obriga uma donzela da vila a participar de um ritual macabro para trazer sua amada de volta dos mortos dentro do corpo da jovem. Claro que isso não vai dar certo [risos satânicos].


Fiquei empolgado, com o início do filme por ser passar no século XIX e por ser tratar de um suspense de terror que busca deixar o espectador tenso ao invés de dar sustos a todo instante. Infelizmente, o filme pula para os dias atuais e nos apresenta Nastya (Victoria Agalakova) e o seu futuro marido, Vanya (Vyacheslav Chepurchenko).

Após o casamento civil, eles vão conhecer a família dele que mora no interior. Na antiga casa, moram Liza (Aleksandra Rebenok), irmã de Vanya, e os dois filhos dela. Liza insiste que eles façam uma cerimônia de casamento seguindo as tradições da família. Enquanto isso, Nastya começa a ter visões assustadoras que explicam um pouco o passado dessa estranha família e o que espera por ela.

Nastya experimenta o vestida de casamento que foi da mãe de Vanya
O que mais me deixou incomodado é que o filme é russo, acho que deu para perceber pelo nome dos atores, mas foi dublado para o inglês. Se é pra exibir um filme dublado, a distribuidora do filme no Brasil poderia ter escolhido por exibir apenas a versão dublada em português. Afinal, nossos dubladores são bem melhores. Se for assistir, opte por ver dublado. Nem acredito que estou falando isso!

O roteirista e diretor Svyatoslav Podgaevskiy, apesar de utilizar vários clichês do gênero e deixar alguns furos no roteiro, conseguiu criar uma tensão que permeia todo o filme. Isso não é comum de se ver nos filmes atuais de terror, por serem bem mais visuais, com mortes grotescas e viscerais, além de abusarem do jump scare.

O jump scare, como ferramenta, consiste basicamente em quatro elementos: uma situação de perigo, uma segurança momentânea, e finalmente uma virada súbita na imagem – com algo ou alguém surgindo abruptamente na tela – e um elemento sonoro, como um grito ou uma elevação na música, para concluir seu efeito. (Fonte: Cinema com Rapadura)

A Noiva foi indicado para Melhor Filme Europeu no Festival Internacional de Filmes de Fantasia de Bruxelas e ganhou o prêmio de Melhor Fotografia (Ivan Burlakov) no Horroroso Festival de Filmes 'Fright Nights'.

Esqueci de comentar que o filme diz que é baseado em fatos reais.
Gostei. Bem melhor do que imaginei.

2 comentários:

  1. André
    Não gosto de filme dublado, ainda mais de russo para inglês. Quase não estou indo ao cinema e este tipo de filme não me agrada. De qualquer forma, suas postagens de cinema são sempre ótimas. Adoro vir aqui conferi-las.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  2. André,

    Gosto muito das suas indicações de filmes, concordo que ultimamente os de terror estejam abusando dos Jump Scares e isso tem me irritado um pouco. Ainda não vi este filme, mas fiquei interessada!

    Abraços!

    ResponderExcluir