Resenha | Nossas Noites

5 de set de 2017

Oi Perdidos,
Sejam bem-vindos!!

Não sabia muita coisa sobre o enredo de Nossas Noites, último trabalho publicado do americano Kent Haruf, e vou confessar que essa é a melhor forma de se ler o livro porque nos emocionamos com cada pequena descoberta. Por isso, vou contar apenas o básico do básico.

Título: Nossas Noites
Autor: Kent Haruf
Tradutora: Sonia Moreira
Editora: Companhia das Letras
Gênero: Drama, Romance, Idosos
Páginas: 159
Ano: 2017
Classificação:


Num fim de tarde, Addie Moore vai até a casa de seu vizinho, Louis Walters, e lhe faz uma proposta indecente: - O que você acharia da ideia de ir a minha casa de vez em quando para dormir comigo? Ele fica espantado, mas ela logo vai se explicando que não se trata de uma proposta sexual. Eles apenas passariam as noites juntos, conversando e fazendo companhia um ao outro até adormecerem. Ele acaba aceitado a proposta e é claro que isso vai dar o que falar no pequeno condado de Holt.

Estou pesando em como isso é estranho. Em como estar aqui é uma coisa nova para mim. Em como estou me sentindo inseguro e meio nervoso. Eu não sei direito no que estou pensando. Uma porção de coisas embaralhadas. Isso não é a mesma coisa que sente um adolescente quando está em um relacionamento pela primeira vez?

À medida que a amizade entre o casal de idosos cresce, eles passam a compartilhar suas histórias de vida, seus medos e frustrações. Não temos mocinhos, nem bandidos nessa história, apenas personagens tão reais que poderiam ser nossos vizinhos. Jamie, neto da Addie, e a senhora Ruth são personagens que também se destacam durante a narrativa.

Temos aqui uma pequena preciosidade. O livro tem apenas 157 páginas e uma diagramação com letras grandes e espaçadas o que faz a leitura ser bem rápida. A escrita de Kent Haruf é leve e fluída. Ele faleceu em 2014, aos 71 anos, com 5 romances publicados e alguns prêmios acumulados durante a sua carreira.

Nossas Noites é um romance onde não acontecem grandes reviravoltas, mas o elegante e delicado romance de Addie e Louis nos envolve de tal forma que ficamos com raiva de qualquer pessoa ou situação que possa interferir nessa relação.

A capa traz diversas críticas positivas, o que costuma me deixar um pouco receoso, mas todas elas são bem pontuais e verdadeiras.

Um romance elegante e pungente que mostra que nosso desejo de mar e de sermos amados não desaparece com a idade. (St. Louis Post-Dispatch)

Temos um romance que retrata com ternura o envelhecimento e que nos mostra que o futuro pode ser bem mais bonito se aproveitarmos as oportunidades que a vida nos oferece.

Voltem sempre!!

Pense em uma coisa boa
e num instante você voa.
 Pense em uma coisa linda
se você não voa ainda.

Um comentário:

  1. Terminei de ler a resenha pensando o quanto esse texto é delicado. Mas de uma forma elogiosa. Outro pensamento que me ocorreu e que seria uma leitura poderosa pra sair de uma ressaca literária. Obrigado por compartilhar a indicação.

    ResponderExcluir