Resenha | Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens

26 de mai de 2016

Título: Simon vs. A Agenda Homo Sapiens
Autor: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Páginas: 272
Ano: 2016
Classificação: 3 estrelas

Dia 17 de maio foi o Dia Internacional de Combate à Homofobia e muitas editoras postaram mensagens pelas redes sociais sobre esse dia de luta, mas a verdade é que poucas são as editoras que lançam livros com temática LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). Além dos personagens homossexuais, também não é comum encontrarmos personagens negros, gordos e de religiões diferentes.

Simon Vs A Agenda Homo Sapiens teve uma grande divulgação de marketing da Editora Intrínseca, o que gerou uma grande expectativa da minha parte.


O livro conta a história de Simon, um garoto de 16 anos que não sabe se deve sair do armário ou não. Ele já se aceitou como gay, mas tem medo das reações da família e de seus melhores amigos: Abby, Leah e Nick.

A única pessoa com quem Simon consegue conversar sobre isso é com Blue. Um amigo virtual que Simon não conhece pessoalmente. Só sabe que ele e Blue estudam na mesma escola. Durante a troca de e-mails entre os dois, o que começou como uma amizade entre duas pessoas, acabou se transformando em uma grande paixão virtual.


Entendo perfeitamente o que diz sobre se sentir preso dentro de si mesmo. No meu caso, nem penso que tenha a ver com as outras pessoas acharem que me conhecem. O caso é que eu quero me manifestar e falar e fazer certas coisas, mas sempre me contenho. Acho que grande parte de mim sente medo. 
O problema é que Martin Addison, um colega de Simon, vê um desses e-mails e resolve chantageá-lo. Ele pede que Simon o ajude a ficar com Abby, uma linda garota negra que faz teatro junto com eles. Simon acaba cedendo a chantagem, mas não se esforça tanto por saber que tudo isso é errado.

Durante o recesso de Natal, uma mensagem dizendo que Simon é Gay é postada no Tumblr para todos da escola, e isto muda tudo. Simon é obrigado a sair do armário para a sua família e seus amigos. Todos recebem bem a notícia, mas Simon começa a receber bullying por parte de alguns alunos da sua escola.

Simon não consegue pensar em mais nada a não ser em Blue. Será que esse amor vai deixar de ser apenas um amor virtual e se tornar realidade ou será que o medo e o preconceito vão ser maior do que o amor deles?

A autora Becky Albertalli é uma psicóloga infantil norte-americana que já atendeu várias crianças com não conformidade de gênero o que traz à história um embasamento bem realista. Apesar disso, não gostei muito do livro até o momento em que a verdade é revelada. Até esse ponto achei a história fraca e a escrita da Becky confusa. Teve momentos em que não conseguia identificar quem era o interlocutor de uma determinada frase. Depois, a história ganha em dramaticidade e a gente torce bastante para que o casal central se conheça pessoalmente e finalmente fiquem juntos.

O personagem de Simon é bem cativante e não tem como não se apaixonar por sua história de amor. Ele não é aquele herói tradicional, é apenas um adolescente e, como todo adolescente, é inseguro, comete erros pra depois pedir desculpas.

No final, o saldo é muito positivo. Só pela coragem de escrever um livro com vários personagens fora do esteriótipo padrão, Becky já está de parabéns. A Editora Intrínseca também está de parabéns por este lançamento.

Que venham outras publicações LGBTs no futuro.

Não deixem de ler o artigo Manual Prático de Formação de Super-Heróis, de Jeff Oliveira, no Blog da Editora Intrínseca. Ele conta um pouco sobre como foi a sua adolescência e como passou a se aceitar como gay e como negro. Um relato emocionante.

Você já leu algum livro com personagem homossexual?
Deixe o seu comentário.
Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário