Angry Birds: O Filme [Crítica]

15 de mai de 2016

Título: Angry Birds: O Filme
País: EUA e Finlândia
Ano: 2016
Diretor: Clay Kaytis e Fergal Reilly
Atores: Peter Dinklage, Jason Sudeikis (Red), Maya Rudolph (Matilda), Kate McKinnon e Sean Penn (Terence)
Gênero: Desenho
Produção: Columbia
Classificação: 2 Estrelas

Angry Birds é um dos jogos de maior sucesso para smartphones. Criado em dezembro de 2009 pela empresa finlandesa Rovio Entertainment, o jogo consiste em jogar pássaros através de um estilingue para derrubar todos os alvos e eliminar os porcos verdes.

Devido a sua popularidade, já era esperado que o jogo atingisse outras mídias como a televisão e o cinema.



O filme estreou no último dia 12 e conta a história de como começou a rixa entre os pássaros e os porcos verdes. Os pássaros viviam felizes em sua pacata ilha. Toda essa tranquilidade só era quebrada pelo nervosinho Red. O seu temperamento acaba fazendo com que ele seja obrigado a frequentar a terapia da Sra. Matilda. Lá, conhece o hiperativo Chuck, o explosivo Bomba e o truculento Terence. 

Quando a ilha é visitada pelos misteriosos porcos, Red desconfia das verdadeiras intensões do Rei Leonard e convence Chuck e Bomba a procurar o Poderoso Águia em busca de sabedoria. Na volta, descobrem que todos os ovos foram roubados e os pássaros decidem partir para a batalha sob a liderança de Red.

A partir daí o jogo começa!

Os desenhos atuais, principalmente os da Pixar, são desenhos voltados tanto para as crianças como para os adultos e possuem um enredo mais profundo. Angry Birds é um desenho voltado para os pequeninos. Com muitas piadas, músicas, bem colorido e ágil. Destaque para a música instrumental do brasileiro Heitor Pereira.

O filme tem 1h37min e consegue utilizar bem o efeito 3D.
Indicado apenas para os menores de 10 anos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário