A Estrada da Noite - Joe Hill [Resenha]

1 de mai de 2016
Título: A Estrada da Noite
Autor: Joe Hill
Editora: Arqueiro
Gênero: Terror
Páginas: 254
Ano: 2007
Classificação: 4 estrelas
Ganhei este livro numa das reuniões do Clube do Livro do Espírito Santo do ano passado com o apoio da Editora Arqueiro.

Durante a Maratona Literária #Vedatona, escolhi A Estrada da Noite para o desafio de Victor Almeida, do canal Geek Freak. O desafio consistia em ler um gênero que nunca leu ou que leu pouco. Nunca havia lido um livro de terror, apesar de adorar filmes de terror quando era mais jovem. Depois vieram vários filmes de terror escatológicos, que não curto, e perdi o interesse pelo gênero. Hoje, algumas produções tentam trazer de volta o terror psicológico e sobrenatural para os cinemas, mas com pouca criatividade. Será que o gênero está vinculado à adolescência?

Judas "Jude" Coyne, uma lenda do Rock pesado, tem vários objetos macabros. Por isso, quando o seu assistente, Danny, descobre na internet o leilão de um fantasma, Jude não pensa duas vezes e faz uma oferta.


O roqueiro acaba recebendo um paletó preto e antiquado, com penas de corvo e botões prateados do tamanho de uma moeda de 25 centavos. Era o paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Mas aquilo não se tratava de uma brincadeira macabra, o espírito é real e ameaça Jude de morte.
Os mortos [sempre] arrastam os vivo para baixo.
O espírito está sempre à espreita segurando uma lâmina em forma de meia lua presa numa corrente e Jude descobre que o fantasma não entrou em sua vida por acaso. Ele quer vingança. O fantasma é o espírito de Craddock McDermott, padrasto de Anna, uma das diversas mulheres de Jude, que cometeu suicídio logo após ser abandonada pelo roqueiro.

Jude sempre teve várias fãs dispostas a ficar com ele. Todas jovens, sensuais e góticas. Ele sempre as chama pelo nome dos estados americanos. Anna era Flórida. Georgia é a sua nova namorada. Ele e Marybeth "Georgia" Kimball caem na estrada numa fuga desesperada.

Durante a perseguição implacável do fantasma, Jude e Marybeth passam a se conhecer melhor, descobrindo seus traumas e seus fantasmas pessoais.

Mais cedo ou mais tarde [os mortos] reclamam o que lhes pertence.
Joe Hill, filho de Stephen King, cria personagens que possuem várias camadas de complexidade que vão sendo mostradas à medida que o suspense aumenta. Em vários momentos fiquei com um friozinho na espinha. A narrativa do autor é envolvente e o climax é digno de um mestre do Terror.

O mundo inteiro é feito de música [...]. Somos todos cordas numa lira. Nós ressoamos. Cantamos juntos.
O lado sobrenatural da história me fez lembrar de Poltergeist. Não a refilmagem, mas o clássico de 1982. 

A Estrada da Noite foi uma grata surpresa e pretendo ler os demais livros do autor. Dizem que O Pacto, adaptado para o cinema como Almadiçoado, com Daniel Radcliffe, é sem sentido, mas me indicaram Nosferatu.

Você gosta de livros de terror?
Já leu algum livro de Joe Hill?
Não deixe de comentar.
Boa leitura!




2 comentários:

  1. André
    Morro de medo de espíritos, nunca leria este livro e fujo também até dos filmes no mesmo estilo. E nunca li Joe Hill mas tenho vontade de ler, mas não este livro.
    Muito boa sua resenha.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Top Comentarista de Maio, serão 3 ganhadores e você ainda pode ganhar um livro a sua escolha.

    ResponderExcluir
  2. Gisela, obrigado pelo comentário. As vezes fico na dúvida se estou indo no caminho certo. Comentários como o seu são um grande incentivo.

    ResponderExcluir